Publicidade

Publicidade

Arquivo de junho, 2008

30/06/2008 - 21:34

Saia de Casa

Compartilhe: Twitter

Eventos à granel durante a semana que começa hoje (ou ontem? Sempre me confundo com essas convenções…). Quem precisa de E3 quando se tem tanta coisa acontecendo por aqui? Ok, não exageremos, precisamos, e muito, da E3. Mas esta semana, só fica em casa quem quiser. Escolha o seu:

***

Korean Popular Culture Expo 2008
Quando e onde: 3 e 4 de julho, em São Paulo
Mas onde?: Local: Hotel Renaissance – Sala (Salão das Américas), Alameda Santos, 2233
Horário: 10h às 18h (3/7), 9h às 12h (4/7)
Preço: grátis

Evento cultural organizado pelo governo coreano. Games online, obviamente, não poderiam faltar (17 milhões de coreanos – entre 49 milhões de habitantes – são jogadores assumidos. Faça a conta, é gente pra caramba). Entre as produtoras que irão demonstrar seus games estão a CJ Internet, NHN, MGame, Andamiro e CR-Space.

***

XVI Encontro Internacional de RPG
Quando e onde: 5 e 6 de julho, em São Paulo
Mas onde? Colégio Marista Arquidiocesano (ao lado da estação Santa Cruz do Metrô)
Horário: 8h às 18h
Preço: grátis (a assessoria não divulgou preço, então presumo que seja de graça)

Organizado pela Devir Livraria e Terramedia, o evento reúne fãs de literatura fantástica e suas vertentes. Para quem curte games, dois destaques. Um é a mesa redonda com o pessoal da Hoplon Infotainment, criadores do game Taikodom, cujo tema é “Universos Ficcionais Compartilhados: transformando limitações em triunfos de enredo”, que rola no sábado, 5/7, das 10h às 12h.

No mesmo Encontro de RPG acontece a palestra do Richard Dansky, escritor e designer norte-americano com tradição em roteiros para RPGs e videogames. Suas participações – seja em textos, seja em design – podem ser apreciados em jogos da série Tom Clancy, como Rainbow Six, Ghost Recon, além de Far Cry e Red Steel. No mínimo, o cara tem o que contar.

Além disso, o evento promete um espaço exclusivo para os games (singelamente batizado de “Videogames Con”), onde o visitante “assiste a palestras, conhece jogos antigos, joga Ninja Gaiden 2, Blue Dragon, Lost Odyssey e Mass Effect. Compra games para todas as plataformas a preços promocionais e action-figures dos maiores personagens dos videogames.”

***

Star Wars Exposição Brasil
Quando e onde: de terça a domingo, até 20 de julho, em São Paulo
Mas onde? Porão das Artes, Parque do Ibirapuera
Horário: 9h às 22h
Preço: R$ 30,00 (15,00 para todo mundo de terça a sexta. Nos finais de semana, somente estudantes ou menores de 12 anos)

Nada exatamente de novo aqui: a exposição em homenagem à saga de George Lucas já está rolando há um bom tempo (você já foi? Eu ainda não – uma vergonha). O que acontece é: o fim está chegando – só vai até o dia 20. E para dar um gás novo, a organização reduziu o preço do ingresso. Quer dizer, de terça a sexta, todo mundo paga meia entrada. Se você já está de férias (o que não é o meu caso), aproveite.

***

Descolagem
Quando e onde: 5 de julho, no Rio de Janeiro
Mas onde? NAVE (Núcleo Avançado de Educação), Rua Uruguai, 208, Tijuca
Horário: a partir das 14h
Preço: grátis

A Cultura Digital e o Impacto da Tecnologia no Mundo Moderno é o tema da primeira discussão deste evento que deve percorrer todo o mês de julho e agosto no Rio. “Descolagem”, conforme explicam os organizadores, pode ser “uma palestra, uma mesa-redonda, um filme uma performance, um curso, um workshop ou o meio de difusão de informação que mais se adequar ao momento, à proposta, ao assunto, ao século em que vivemos”. A presença de especialistas na área de tecnologia (e games, inclusive) está prevista, tanto na estréia do projeto quanto nas datas subseqüentes (ainda não divulgadas). Tudo indica, aliás, que eu dê as caras numa dessas.

***

Você se lembra quando o dia primeiro de julho significava o início das férias? Pra mim, já faz tempo demais. Aproveite enquanto pode.

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
27/06/2008 - 22:05

Resumindo…

Compartilhe: Twitter

Sexta feira brava. Dia de notícias atrasadas. Ou melhor, um resumo do que rolou durante a semana (assim fica menos feio, concorda?) Então vejamos:

Outra fonte dentro da Tectoy aproveitou a notícia que divulguei no início da semana (sobre os games Electronic Arts na nova versão do MegaDrive) para complementar:

“Os games da EA no novo MegaDrive são versões baseadas no celular, é verdade, mas bem melhoradas em relação a sua plataforma de origem. Novas texturas, save games, visual em perspectiva (2.5D). O pessoal da Tectoy deu um belo “tapa” na versão celular dos jogos, e, afinal, estão rodando em TV, ou seja, com toda a parte visual remodelada.”

Está dito.

***

E no mesmo dia que a notícia “Ubisoft no Brasil” estourou, a assessoria de imprensa contratada pela empresa tratou de oficializar tudo. Nada que você já não tenha lido por aí, mas o release é tão otimista que vale a pena ser publicado na íntegra:

UBISOFT ABRE ESTÚDIO DE PRODUÇÃO DE GAMES EM SÃO PAULO

Empresa busca novos talentos na América do Sul para fazer parte de sua equipe de desenvolvimento

A UbiSoft anuncia hoje a expansão de suas atividades de desenvolvimento de jogos com a abertura do primeiro estúdio de produção na América do Sul, sediado no Brasil, em São Paulo.

A escolha de São Paulo para abrir um novo estúdio está diretamente ligada ao fato de que a cidade é a capital econômica do Brasil e o próprio líder econômico da América do Sul. Além de ser uma área cultural, com uma população jovem e criativa que tem demonstrado uma paixão por novas tecnologias e meios de comunicação social, São Paulo possui o maior agrupamento de universidades do continente.

O estúdio abrirá as portas no final de julho com uma equipe de 20 desenvolvedores e a meta é de crescer para 200 membros em quatro anos. A abertura da Ubisoft São Paulo assinala um marco na expansão do grupo, com estúdios de produção agora nos cinco continentes.

“A riqueza cultural de São Paulo, juntamente com sua rede universitária trará consigo um conjunto único de novos talentos para a comunidade internacional de desenvolvimento da UbiSoft”, disse Christine Burgess-Quémard, diretor executivo dos estúdios da empresa no mundo todo. “Estamos ansiosos para aproveitar os excepcionais talentos na América do Sul e continuar a nossa expansão global”, finaliza o dirigente.

Após um período inicial de treinamento, o estúdio da Ubisoft São Paulo vai se dedicar inicialmente ao desenvolvimento de jogos para Nintendo DS voltados às meninas e meninos entre 8 e 14 anos (o chamado público “tween”, mistura dos termos “teen” e “between”).

A idéia é que o novo estúdio, além de produzir conteúdo para games de outros escritórios da companhia, seja capaz de desenvolver jogos para Wii, PlayStation 3 e Xbox 360. A empresa trabalha com a idéia de produzir jogos que sejam do interesse de 80% da população, entre eles meninas e adultos.

A chegada da Ubisoft no país pretende dar um estímulo ao setor de desenvolvimento de games, pois a empresa já faz aproximações com o Governo, universidades e até mesmo será filiada à Abragames (Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Eletrônicos).
O estúdio será dirigido por Bertrand Chaverot, que tem quatro anos de experiência no país, já que entre 1999 e 2003 comandou as operações de distribuição da Ubisoft em nosso país. Recentemente, ele serviu na sede da empresa em Paris como gerente-diretor do Departamento de Desenvolvimento externo da Ubisoft para Europa, Oriente Médio e Ásia.

Parece tudo bom demais pra ser verdade? Concordo que sim. Dizer que a abertura do estúdio em São Paulo ocorre graças à nossa riqueza cultural e ao grande agrupamento de universidades soa como uma desculpa boa, principalmente ao lembrarmos do perfil de outras cidades que abrigam estúdios da empresa (só para citar algumas, Montreal, Xangai, Paris, Barcelona, Casablanca, todas cosmopolitas e efervescentes culturalmente). Mas será que podemos esperar uma contratação desenfreada de talentos nas nossas faculdades? Ou será que Bertrand Chaverot e sua equipe darão preferência a profissionais já estabelecidos no setor, ou mesmo a estrangeiros que viriam aqui já com seus passes valorizados? Será que a produtora francesa dará mesmo uma força para esses novos talentos brasileiros da criação, programação e design?

Seja como for, está todo mundo tentando a sorte (perdi a conta de quantas pessoas me pediram o contato da empresa nos últimos dias). Uma fonte ligada aos cabeças da operação Ubisoft no Brasil me revelou que mais de mil currículos (isso mesmo, 1000) já foram enviados ao e-mail jobs.brazil@ubisoft.com. A concorrência está brava, e as vagas, por enquanto, são poucas. Será que é a sua vez?

Se não tentar, jamais vai saber. E bom fim de semana.

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
26/06/2008 - 23:55

Game é Fashion

Compartilhe: Twitter

Coincidência ou não, tive contato duplo com a moda no último final de semana. Você deve estar pensando: “O que games têm a ver com isso, ainda mais neste blog”. Explico. Ou melhor, não explico, porque realmente a moda e os games ainda estão longe de terem relações muito próximas (descontando alguns games que capricham no figurino fashion de seus personagens. Mas deixa pra lá). De qualquer forma, acabei visitando, por força da profissão, dois eventos que carregam a moda em seus nomes: o São Paulo Fashion Week e o World Cosplay Summit. E também por força da profissão, acabei observando mais relações entre os dois temas do que minha vã filosofia sonhava.

Na sexta, assisti ao desfile da grife Cavalera no maior evento de moda da cidade. Não poderia perder a chance de ver uma exibição dessas ao vivo – afinal, é um assunto tão alardeado hoje em dia que ignorar a oportunidade seria bobagem. Realmente, não perdi meu tempo. Ver um desfile ao vivo é realmente algo, goste você de moda ou não. Não posso dizer que compreendi o que ali se passava. As/os modelos adentram a passarela em alta velocidade, como se tivessem pressa, em marcha quase militar carregando expressão nenhuma e roupas que dificilmente serão vistas em um ambiente considerado “normal”. Soube, posteriormente, que raramente as roupas exibidas em desfiles chegam às lojas. É comum os estilistas mostrarem serviço nessas ocasiões, dando pistas da tendência da coleção, mas não necessariamente colocando suas bizarras criações à disposição do consumidor. Vivendo e aprendendo.

Assim sendo, me pareceu que o desfile da marca em questão, esverdeado (verde é a cor da estação, dizem) e surreal (modelos “flutuaram”, outros vestiam máscaras de porco, gorila, entre outros bichos) era mais uma exibição de idéias do que uma demonstração de produtos. Mais importante do que as roupas, era o evento em si, uma celebração de alguma coisa que dificilmente um leigo compreende à primeira vista. Foi legal estar lá, mas confesso que entendi pouco, ou quase nada. Valeu pela experiência. Se bem que muitas daquelas roupas poderiam bem vestir certas lutadoras gostosonas de games de lutas mais descolados. Foi só uma idéia que tive na hora, mas acho que é improvável que alguém naquele recinto teve o mesmo insight que eu…

***

Já no dia seguinte, sábado de celebração do Centenário da Imigração Japonesa, me dirigi ao Anhembi, onde ocorreria a final brasileira do World Cosplay Summit. O evento, organizado pela editora JBC, classifica uma dupla cosplayers para a final mundial, em Nagoya (Japão), onde os prêmios são mais polpudos e a visibilidade, bem maior. Fui convidado para ser jurado, como aconteceu nos últimos dois anos, e desta vez me senti um pouco melhor preparado para julgar o que se passaria no palco. Cosplay, costume player para os não iniciados, é uma arte levada muito a sério por quem a pratica. É impressionante o cuidado que os cosplayers têm com suas fantasias e performances. Dá a entender que a confecção da roupa e a elaboração da atuação levam pelo menos um ano inteiro, tamanha a dedicação com que as duplas se entregam frente aos jurados e à platéia.

Na primeira fila do Auditório Elis Regina, me posicionei entre Jum Nakao e Fábio Yabu. O primeiro é um estilista renomado, responsável há alguns anos pelo que ficou marcado como o “desfile da década” da Fashion Week (as modelos rasgaram as roupas, confeccionadas de papel, cujos pedaços eram disputados à tapa por fashionistas emocionados); o outro é hoje um dos artistas/desenhistas brasileiros mais bem sucedidos no exterior na atualidade (sua mais recente criação, As Princesas do Mar, virou um desenho animado exibido em 43 países – no Brasil, é atração do Discovery Kids). A duas poltronas para a direita se encontrava o Ricardo Cruz, antigo companheiro da editora Conrad e atual vocalista do Jam Project, supergrupo japonês de cantores de animesongs. O que pessoas de carreiras tão distintas teriam a contribuir para o julgamento da melhor dupla de cosplayers do país? Tudo, afinal, o cosplay é uma das manifestações pop mais diversificadas da cultura nipônica. Tem a ver com moda, animação, games, quadrinhos, música. Ou seja, essas nerdices que nós adoramos.

No fim das contas, o desfile dos cosplayers bateu longe o nível do ano passado. Uma primeira visualizada nas roupas dos concorrentes não dava muitas pistas do que estava por vir. Era em cima do palco, totalmente envolvidos com seus personagens, que os participantes se transformavam, e tudo aquilo passava a fazer sentido. Muitas duplas recriaram personagens de games e, contrariando a tendência do ano – e que foi a febre do ano passado -, poucas duplas apresentaram duelos de espadas (felizmente, pois ninguém reclamou). A exceção foram os participantes que simularam lutas com personagens da série Samurai Spirits. A performance de Disgaea 2 chamou bastante a atenção, tanto por ter sido em português como por ter apelado para o humor (não por coincidência, levou o terceiro lugar). A dupla que executou uma cena de Castlevania também caprichou no figurino e na performance – o Dracula era impressionante, seja na interpretação, seja na semelhança física. E havia o belíssimo NiGHTS, que mereceu uma das apresentações mais criativas, que combinou com a sensação onírica proporcionada pelo game.


A expectativa dos participantes, antes do anúncio dos vencedores

Os dois melhores na opinião do júri acabaram sendo cosplays baseados em animes: o segundo lugar ficou com uma performance irretocável de A Princesa e o Cavaleiro, um dos favoritos da infância. E o primeiro foi merecido, com o impressionante Burst Angel, estrelado pela mercenária Jo (Jéssica Campos) e o robô Jango (Gabriel Niemietz). Confesso que não conhecia os personagens, mas nem precisava: não havia quem não ficasse chocado com a construção perfeita da criatura de 2m60, com direito a efeitos especiais, ou com a interpretação fria e muito compenetrada da heroína.


Jéssica e Gabriel comemoram a vitória – e a passagem para o Japão

A semelhança mais óbvia que encontrei entre esses eventos: ambos apresentam figurinos que dificilmente veremos alguém usando em público. Há uma outra: no que diz respeito ao fanatismo, entrega e devoção, não encontrei discrepância alguma entre um desfile de moda e um evento de cosplays. Pensando bem, o que diferencia um apreciador de quadrinhos e animes, um jogador de games, um torcedor de futebol, um roqueiro apaixonado e um seguidor da moda? Nada. Seja em desfiles, shows, lan houses, eventos ou em estádios, o verdadeiro fã sempre irá se comportar… como um fã de verdade. Não que exista algum problema nisso…

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
24/06/2008 - 14:34

Logo ali na Paulista

Compartilhe: Twitter

Conforme você leu aqui antes (há quase três semanas), a Ubisoft confirmou seus planos de reabrir seu escritório no Brasil, mais especificamente em São Paulo. A notícia foi oficializada hoje pelo Théo Azevedo em seu UOL Jogos, com uma entrevista com Bertrand Chaverot, executivo francês que comandou o escritório paulistano da empresa há alguns anos.

A intenção é que o escritório/estúdio da Ubisoft São Paulo tenha os moldes das empreitadas da empresa em Montreal (Canadá) e Xangai (China), entre tantas outras cidades. A Ubisoft sempre ficou conhecida por investir em desenvolvimento e idéias, e os planos para com o Brasil soam como uma continuidade neste sentido. Vagas vão surgir e o mercado vai se movimentar em torno da novidade durante um bom tempo.

Há alguns anos, tive a oportunidade de visitar os estúdios da Ubisoft em Montreal e em Paris (França), e obviamente fiquei boquiaberto com o profissionalismo e as altíssimas condições de trabalho oferecidas aos funcionários. Deu uma inveja boa de trabalhar ali, e passei um bom tempo cogitando largar tudo pra ir morar no Canadá (acho que só a visita ao estúdio de Montreal, em 2001, vale um post só dele. Farei isso em breve). Seja como for, se a Ubisoft conseguir transportar essa eficiência e bom gosto ao seu escritório na Avenida Paulista, fico bastante animado com as possibilidades que a novidade trará. É esperar para ver.

***

Enquanto isso, a Tectoy faz das suas. Ouvi dizer que o próximo modelo do saudoso Mega Drive trará, além de 82 jogos clássicos da plataforma gravados em sua memória, mais uma porção de títulos recentes da Electronic Arts: versões adaptadas de Need For Speed Pro Street, Fifa 08, The Sims 2/ e SimCity estarão armazenadas dentro do console. Note que estou falando de ports das versões mobile desses títulos, e não dos jogos para PC (seria bom demais pra ser verdade…) Mas já é alguma coisa – afinal, estamos falando de convergência de mídias e da parceria entre duas empresas de grande porte. Pode dizer, estou bem otimista hoje.

O “novo” Mega Drive, aliás, deve chegar às lojas em agosto.

***

E amanhã – ou hoje mesmo, se o fechamento permitir -, minha cobertura do World Cosplay Summit… e do São Paulo Fashion Week (?).

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
20/06/2008 - 21:05

Fashion Weekend

Compartilhe: Twitter

Chega às bancas na próxima segunda-feira a edição 41 da GameMaster, publicação multiplataforma da editora Europa. Na capa, surpresa: um game para fliperama. É King of Fighters XII (que em breve deve sair também para os consoles):


Parece nostálgico pra você? Pra mim, sim

“Foram longos meses negociando com a SNK, mas só conseguimos de última hora, bem no fechamento”, me contou o editor Gustavo Petró. “Na matéria, há imagens exclusivas que só a GameMaster tem e tem imagens já divulgadas, mas não com toda essa definição”. Mas segure a coceira na mão, que o game ainda nem tem data de lançamento anunciada (a matéria da revista, obviamente, traz mais informações).

***

E começou o show de horrores do modo de criação de personagens do quase mítico Spore, de Will Wright. Alguns caras mais criativos já se deram conta do que é possível fazer por ali (valeu a dica, Gilsomar).

Criaturas-pênis ambulantes e grotescas, por exemplo. E a partir daí, só piora.

Ficou inspirado? (Xii…) Então baixe aqui a versão demo do modo de criação de criaturas e faça a festa. Por enquanto, ninguém processou ninguém. Mas logo mais alguém vai criar caso, pode esperar.

Spore chega ao Brasil oficialmente no dia 5 de setembro, dois dias antes do lançamento nos Estados Unidos. A Electronic Arts anunciou a pré-venda de uma versão especial do game, a Galáctica, que traz brindes (manual especial de 100 páginas, pôster, cartão de fidelidade e outros mimos) e uma bela embalagem, tudo por R$ 139,90. As informações estão no site oficial do game no Brasil (aquele cujo link está lá em cima).

Enquanto isso, Will Wright, tímido e circunspecto que só ele, continua fugindo das entrevistas como o diabo da cruz. Agora, até entendo o porquê…

***

Amanhã, 21 de junho, serei jurado do evento World Cosplay Summit 2008, o “Oscar do Cosplay brasileiro”. Organizado pela editora JBC, o evento selecionará uma dupla vencedora, que representará o Brasil na final mundial do torneio, no Japão. No ano passado, comentei aqui no blog sobre minhas impressões do evento (o que me valeram diversos comentários polêmicos e não muito felizes). Farei a mesma coisa na semana que vem, porque já vi que o assunto sempre rende uma conversinha por aqui.

Não sei dizer se isto já era válido no ano passado, mas soube agora e me surpreendi: segundo o regulamento, não é permitida a interpretação de personagens de videogames na final mundial – ou seja, só valem heróis de animes e mangás. A etapa brasileira, pelo menos, aceita personagens de games, mas somente aqueles considerados “japoneses”. Ou seja, um cosplay de Niko Bellic de GTA IV, nem pensar.

Quem puder, compareça. O show do amigo/cantor Ricardo Cruz e a apresentação da Geovanna Tominaga (TV Globinho) já compensam. A entrada é gratuita (mas o ingresso precisava ser retirado até hoje de tarde…). Nos vemos por lá.

Onde: Anhembi – Auditório Elis Regina, Rua Olavo Fontoura, 1209, São Paulo
Quando: Sábado, 21 de junho, das 17h às 22h30

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
18/06/2008 - 20:22

Jeanie (não) é um gênio

Compartilhe: Twitter

Na semana passada, o portal UOL Jogos publicou uma matéria sobre a patente de um misterioso novo produto da Tectoy, o “Jeanie”. O artigo, escrito por Théo Azevedo, descreve o aparelho como um “aparelho eletrônico de games cujo grande diferencial seria o conteúdo fornecido por download, sem uso de mídias físicas como CD ou DVD”. Menos especificamente, segundo a própria Tectoy, o Jeanie nada mais é do que “uma tecnologia que pode virar vários produtos”.

Videogame novo na área, ou apenas mais uma idéia sem grandes pretensões? Para tentar esclarecer uns pontos obscuros, conversei com o André Faure, gerente geral de projetos especiais da Tectoy, que forneceu um pouco de luz corporativa sobre o tema – e aproveitou para encerrar, de uma vez por todas, os boatos da volta do saudoso Dreamcast ao mercado brasileiro. Confira abaixo, e comente em seguida:

Gamer.br: Acho que todos ficaram surpresos com as informações sobre a patente de um novo produto criado pela Tectoy. O que é exatamente aquilo? Dá para dar alguma pista?
André Faure: A Tectoy se orgulha de ser uma empresa brasileira que escreve e submete patentes internacionais. Apesar da patente estar escrita como se fosse referente a um novo produto, não necessariamente ela o é. Patentes podem ser utilizadas parcialmente, totalmente ou até mesmo não serem utilizadas, protegendo uma idéia somente.

Podemos esperar algum anúncio oficial esclarecendo mais detalhes sobre essa patente? Ou era algo que não estava previsto ser tornado público?
AF: A Tectoy deve anunciar sua nova linha de produtos no começo do segundo semestre. Temos muitas novidades para este ano, e algumas boas surpresas para o nosso público, que com certeza, vai ver uma nova Tectoy surgindo.

Como funciona o sistema de patentes por meio de uma empresa como a Tectoy? Quer dizer que toda idéia considerada “boa” é patenteada para ser protegida?
AF: Funciona como qualquer empresa. Idéias boas a inovadoras normalmente são protegidas. Se você procurar por patentes da Nintendo, Sony ou Microsoft (só para exemplifcar), você vai achar centenas de patentes, e mais de 90% delas nunca viraram produtos.

Você pode dar alguma pista se a Tectoy está planejando reentrar no mercado de consoles de alguma forma? Se não, qual é a próxima “boa”?
AF: A Tectoy está trabalhando intensamente em uma nova linha de produtos que mudará a perspectiva que nossos consumidores têm sobre a empresa. A Tectoy continua passando por uma renovação muito forte, mudou de endereço recentemente. E, com certeza, essas mudanças chegarão aos nossos consumidores em forma de produtos inovadores e acessíveis.

O que você pode dizer a todos os nostálgicos que choram diariamente pedindo o relançamento do Dreamcast no Brasil?
AF: Fico feliz com toda mobilização do mercado de games brasileiro. Fico feliz que os gamers queiram de maneira tão intensa a volta desta plataforma que marcou época. Porém, infelizmente não existem planos de ressuscitar a plataforma. Ao mesmo tempo, eu conclamo a todos os gamers que, sempre que tiverem um desejo, botem a boca no mundo. É a única maneira de ter a sua voz ouvida pelas empresas.

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags: ,
13/06/2008 - 19:41

No ar

Compartilhe: Twitter

Deu hoje na coluna do Daniel Castro na Folha de São Paulo: Bandeirantes rompe contrato com PlayTV(para quem não tem acesso ao link, os principais trechos estão abaixo):

Inicialmente prevista para durar dez anos, a parceria entre o Grupo Bandeirantes e a PlayTV acaba em julho, com apenas dois anos e dois meses.
Insatisfeita com os resultados do negócio, a Band decidiu não renovar o contrato com a PlayTV e voltará, em agosto, a investir na Rede 21, marca que antes ocupava o canal 21 (UHF) da Grande São Paulo.
A PlayTV pertence à Gamecorp, empresa que tem entre seus sócios a operadora de telefonia Oi (ex-Telemar) e Fábio Luís Lula da Silva, filho do presidente Lula. Originalmente, a Gamecorp era produtora de games e conteúdos para celular.
Em 2006, quando a Band fechou acordo com a Gamecorp, havia a expectativa de que a PlayTV se tornaria um bom negócio com a convergência entre games e TV digital, algo que ainda não ocorreu. (…) A assessoria de imprensa da PlayTV nega o rompimento do contrato com a Band e atribui a informação a “vice-presidentes [do Grupo Bandeirantes] que não gostam do canal”. A Band não comentou o assunto.

Até o fim do dia, nenhuma das partes havia confirmado o fim da parceria. Conversei com alguns contatos na Band e na PlayTV, que disseram que o assunto ainda é pouco comentado nos corredores de ambas as emissoras (nas chamadas “rádios-corrimão”). Se há mesmo algo rolando neste sentido, as decisões ainda devem estar nas mãos das grandes instâncias e dificilmente ficaremos sabendo de algo antes de um anúncio oficial.

Uma coisa, pelo menos, é certa: pode até parecer complicado afirmar qual será o destino da PlayTV se a parceria com a Band realmente chegar ao fim, mas me parece improvável que a primeira não tenha um plano B para alguma emergência desse gênero. Ou seja, a PlayTV deve continuar no ar, mesmo sem a Band. Resta saber como.

***

Tem evento de games no Rio de Janeiro neste domingo. Luiz Eduardo, do site Wii Brasil, manda avisar:

Será realizado no dia 15 de junho, no Rio de Janeiro, o evento de videogames Checkpoint. Entre as principais atrações estão campeonatos de consoles (incluindo Super Smash Bros. Brawl, Pro Evolution Soccer 2008 e Mario Kart Wii), concurso de cosplay, show ao vivo de gamemusic e palestras com especialistas da indústria.

Checkpoint – Festival de Games
Data: 15 de junho de 2008, de 11h às 19h
Local: Grajaú Country Club – Rua Professor Valadares, 262 – Rio de Janeiro
Ingresso: R$ 8,00 (antecipado), R$ 10,00 (no dia)

Confira mais informações aqui.

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
12/06/2008 - 19:23

Confirmado

Compartilhe: Twitter

Primeiro, chegou um e-mail que começava assim:

Dear E3 Media & Business Summit Invited Guest,
In early May you were emailed an invitation to attend the E3 Media & Business Summit. Our records indicate that as of this date, you have not yet confirmed your registration to the event.

Pensei: como poderia ter confirmado presença a um evento para o qual não fui convidado oficialmente? Horas após este questionamento, a tal senha secreta foi enviada, sem desculpas pela confusão. Fiz a burocracia necessária. E o e-mail automático que chegou em seguida dizia assim:

Dear Pablo Miyazawa
Thank you for confirming your registration for the E3 Media & Business Summit.
Please bring this confirmation, along with a government-issued photo ID, to the Registration area located in the West Hall Lobby of the Los Angeles Convention Center.

Ou seja, confirmado já estou. Agora, só falta todo o resto – conseguir comparecer ao evento deste ano. Contribuições são bem vindas.

***

Este é O Mundo do Mundo de Warcraft… ainda bem que o The Onion é uma tiração de onda das boas


‘Warcraft’ Sequel Lets Gamers Play A Character Playing ‘Warcraft’

É mentira, claro, mas sabendo como é a Blizzard, eu não acharia (muito) bizarro se se tornasse verdade…

***

Já ganhou o seu Metal Gear Solid 4 de dia dos namorados? E os solteiros, já conseguiram encontrar algum para vender por aqui?
Se alguém realizou a proeza, escreva um comentário aí embaixo. Até agora, não conheço um único brasileiro (residente no país) que já esteja jogando. Azar o nosso, claro.

E enquanto o seu não chega, acompanhe o ex-Gamespot Jeff Gerstmann jogando, ao vivo, e fique com inveja (de vez em quando a transmissão pára de funcionar).

***

Ah, sim. O resultado, conforme o prometido na segunda-feira:

O vencedor da promoção Gamer.br é o:

Pablo Raphael

Ele leva pra casa uma edição do Guinness Games 2008 (Editora Ediouro), mais uma edição da Rolling Stone e adesivos de GTA 4. Parabéns ao vencedor (que, aliás, venceu pela segunda vez uma promoção por aqui) e obrigado a todo mundo que participou. Na semana que vem tem mais promoção. Prêmios bons, aliás. Pode contar.

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
09/06/2008 - 19:55

Monday, Monday

Compartilhe: Twitter

Depois de uma semana agitada, um dia bem morno para variar… nos resta rir, pelo menos.

Já parou para pensar como os criadores de games das antigas bolavam aquelas idéias mais esdrúxulas?


Se não foi assim, pelo menos deve ter sido parecido

***

CubeCraft é uma criação do designer Christopher Beaumont, que consiste em versões estilizadas/geométricas/hiper-deformadas de personagens famosos da cultura pop (games fazem parte, sabia dessa?). No site, é possível baixar gratuitamente a imagem de cada herói, que pode então ser impresso, cuidadosamente dobrado e colocado na sua mesa, estante, em cima do monitor, dado de presente de dia dos namorados, ou seja lá o que sua imaginação inventar.

Entre as dezenas de opções, selecionei link para as mais legais: Kirby (você sabe, o advogado da Nintendo), Yojimbo (o samurai coelho), Master Chief (Halo), Dr. Manhattan (do Watchmen), Mario (dã), Goomba (do Mario), Sam (de Sam & Max), Max (idem), Megaman (o nome já diz), Haggar (de Final Fight), Ness (do sensacional EarthBound) e Mr. Saturn (também).

Clique em todos, imprima tudo e acabe com a tinta da impressora você também.

***

Está no ar mais uma edição do Pablocast Audiogame. Nesta versão, a décima-sexta em pouco mais de oito meses (e o mais longo de todos os tempos, mais de uma hora e meia de verborragia incontida), falamos sobre tudo e mais um pouco. Já nem lembro mais, tamanha a quantidade de assuntos. Gravado em casa, então a qualidade do som é quase boa – ignore o fato de ter sido usado um microfone de Rock Band para a captação das vozes… ficou legal.

Clique aqui e baixe para ouvir. E comente aqui ou .

***

E amanhã, sem falta, o resultado da promoção Gamer.br. Você agüenta esperar até lá? Então tá. Até lá.

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
05/06/2008 - 19:19

Você sabia?

Compartilhe: Twitter

Da série “Coisas que você deveria saber, mas não sabe porque ninguém está falando muito sobre isso ainda (porque talvez elas não se concretizem, vai saber)”:

* Tem uma editora grande no Brasil planejando lançar uma nova revista de games no mercado nacional. Como dica, dá pra dizer que a marca é estrangeira e já consolidada lá fora. E a editora é meio que especializada nesse tipo de assunto. Só falta uma data para colocar o bonde na rua. Ah, um site da revista também está incluso no pacote.

* Tem uma editora brasileira, que ficou famosa há uns anos com suas publicações voltadas para o público jovem, sendo adquirida por uma outra editora, maior, mais tradicional e bem consolidada. O negócio logo vai ser anunciado e, conforme afirmam as fontes, foi muito bom – financeiramente falando, claro – para a parte comprada.

* Dizem algumas línguas que a francesa Ubisoft estaria planejando abrir um escritório no Brasil novamente (para quem não se lembra, eles estavam bem atuantes por aqui até 2002 mais ou menos, quando passaram a ser representados pela Electronic Arts). Minha fonte diz que há grandes chances de isso acontecer ainda este ano, mas quem garante?

* A mesma coisa pode ser dita sobre a Sony e seus planos para o Brasil. Muita gente na indústria anda comentando sobre a possibilidade de a gigante japonesa começar a lançar seus games e consoles oficialmente em nosso país (primeiro o PlayStation 2, depois o restante dos produtos), e pela quantidade de boatos e fontes diversas, tudo leva a crer que conversas oficiais estão mesmo rolando. Resta saber se vai acontecer algo mesmo, ou se não é tudo um rasgo de otimismo exarcebado. Os dedos aqui já estão bem cruzados.

E para um dia que estava morto até que está bom, não?

Autor: - Categoria(s): Tudo ao mesmo tempo Tags:
Voltar ao topo